Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

terça-feira, julho 18, 2017

Obras para abatedouros estão em andamento no RN

Angicos, Acari, Ceará-Mirim, Florânia, Nova Cruz, Santa Cruz e Taipu foram cidades contempladas pelas solicitações do presidente da Assembleia Legislativa, deputado
Leia Mais ››

Deputados votarão denúncia contra Temer ao microfone

A Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara definiu, nesta terça-feira, 18, o rito da votação em plenário da denúncia contra o presidente Michel Temer. Como na sessão do dia 17 de abril de 2016, dia em que a Câmara autorizou a abertura do processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, os parlamentares serão chamados nominalmente ao microfone.

Como os deputados entraram em recesso, a leitura do parecer ficou para 1º de agosto, quando voltam para Brasília. A previsão de votação da denúncia é 2 de agosto. No fim de junho, deputados da oposição se encontraram com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para pedir que rito fosse igual ao do impeachment

Pelas regras da SGM, os deputados serão chamados em ordem alfabética, por Estado, alternadamente do Norte para o Sul e vice-versa. Os parlamentares terão de responder “Sim”, “Não” ou “Abstenção” ao parecer. Ao final, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chamará novamente os ausentes.

Se não for atingindo o número de 342 votantes, outra sessão será convocada para a votação da denúncia. Marcada para o dia 2 de agosto, a sessão deliberativa extraordinária começará às 9h, desde que haja o quórum mínimo de 51 parlamentares presentes.

Pelo rito divulgado nesta terça, será exigido a presença de 52 parlamentares para o início da Ordem do Dia (momento em que começam os trâmites de votação). O primeiro a discursar na abertura da Ordem do Dia será o relator do parecer aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG).

O tucano terá a palavra por até 25 minutos, mesmo tempo que será concedido à defesa do presidente Michel Temer. O tempo da defesa poderá ser dividido entre o advogado e o próprio presidente da República, se ele quiser fazer pessoalmente sua defesa no plenário da Casa.

Após relator e defesa se manifestarem, cada orador poderá falar na sessão por até 5 minutos, alternando entre votos contra e favor ao parecer. Ao final de quatro discursos, poderá ser apresentado um requerimento de encerramento de discussão, desde que neste momento haja pelo menos 257 parlamentares na sessão.

Logo que for encerrada a fase de discussão, o presidente da Câmara poderá iniciar a votação da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), desde que haja 342 parlamentares presentes. Para aprovar a denúncia, são necessários 342 votos a favor. A orientação de voto será feita por quatro parlamentares, dois à favor e dois contra a denúncia

Serão concedidos cinco minutos de discurso para cada um. Líderes de bancada poderão falar por até um minuto na fase de orientação dos votos da bancada. Essa fase será a última antes da chamada nominal de parlamentares. Se mais de 342 deputados votarem na sessão, o presidente da Câmara poderá proclamar o resultado final.

Fonte: Estadão
Leia Mais ››

Deputados do PMDB, PSDB e Centrão articulam emenda para manter mandatos

Deputados do PMDB, PSDB e de ao menos oito partidos do Centrão firmaram acordo para incluir na reforma política o "distritão". Pelo sistema são eleitos para o Legislativo apenas os mais bem votados em cada Estado. A medida é apontada pelos parlamentares como uma forma de assegurar a própria reeleição e, consequentemente, manter o foro privilegiado em meio ao descrédito com a classe política causado por escândalos de corrupção como os revelados pela Lava Jato.

Hoje um candidato mais votado não garante necessariamente uma cadeira na Câmara. O atual sistema é chamado de proporcional. Ele soma o número de votos de todos os candidatos e na legenda e a partir daí define a quantos assentos o partido terá direito. Os mais votados dentro da sigla são eleitos. Por isso, ocorre o fenômeno dos puxadores de votos, como Tiririca (PR-SP), que podem ajudar a eleger parlamentares com baixa votação.

Sem considerar esse modelo, a ideia é apresentar a emenda do "distritão" durante as discussões, em plenário, do texto do relator, deputado Vicente Cândido (PT-SP), a ser analisado a partir de agosto. Esse modelo pode dificultar a renovação da Câmara e favorecer a permanência dos deputados no poder, uma vez que eles têm recall (são conhecidos por maior parcela do eleitorado pela participação em eleições passadas), visibilidade midiática e máquina administrativa, como acesso a emendas que garantem verbas para obras em redutos eleitorais.

Como o petista sugere um sistema "transitório" para as eleições de 2018, os parlamentares já articulam o "distritão" como sistema permanente. A proposta foi tema de debate em uma reunião na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na quarta-feira passada. Estavam presentes parlamentares do Centrão, do PMDB, da oposição e do PT, que discorda da medida.

A reportagem apurou que, no encontro, os deputados debateram abertamente a eficácia do sistema para garantir que eles se mantenham nos cargos a partir das próximas eleições.

A emenda será apresentada pelo deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) e vai transformar os Estados em distritos. O parlamentar, porém, negou que a proposta tenha a finalidade de garantir a renovação dos mandatos. "Isso quem vai decidir é o povo. O 'distritão' garante a representação das minorias."

A bancada do PMDB deverá votar majoritariamente a favor desse sistema. "Há uma maioria na Câmara a favor da proposta, apenas existe uma discordância se o sistema deve ser transitório ou permanente", afirmou o deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), que não estava presente no encontro. "Só não há consenso porque a oposição é contra", disse.

Maia é contra a proposta, mas afirmou aos parlamentares que aceitaria uma articulação no caso de o "distritão" ser usado apenas em caráter transitório. Para parlamentares críticos à medida, esse sistema só poderia ser adotado após a aprovação de uma cláusula de barreira para diminuir o número de partidos. A avaliação é de que o "distritão" vai incentivar legendas nanicas a lançar candidatos populares, como artistas, delegados e apresentadores de TV.

'Atraso'

O cientista político Jairo Nicolau, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialista em sistemas políticos, é crítico ao modelo. "É um sistema atrasado, que reforça o personalismo na política e enfraquece os partidos", afirmou. "O distritão é um sistema com muitos problemas, não é usado em nenhuma democracia tradicional, é um sistema que esteve em vigor no século 19."

Ele lembrou que, há dois anos, praticamente os mesmos deputados já rejeitaram o "distritão", durante a votação da minirreforma eleitoral de 2015. Hoje, disse ser "lamentável" o que chamou de "acordos de bastidores".

O sistema defendido por Cândido em relatório é o distrital misto. Pela regra, o eleitor votaria duas vezes: uma no candidato e outra no partido de preferência. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Estadão
Leia Mais ››

BRASIL É ALERTADO SOBRE PEDIDO DE PRISÃO DE RICARDO TEIXEIRA NA ESPANHA

Ricardo Teixeira é investigado pelo suposto desvio de receita de jogos da seleção - Foto: Antonio Lacerda | Arquivo | EFE
Procuradores federais brasileiros e espanhóis começaram a trocar informações sobre as suspeitas de corrupção que pesam contra Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, pelo suposto desvio milionário da receita de jogos da seleção. Informalmente e por meios confidenciais, a cúpula da Procuradoria Geral da República já foi alertada pela Espanha de que a Justiça de Madri emitiu uma ordem internacional de prisão contra o ex-dirigente. A esperança dos espanhóis é de contar com a colaboração do Brasil no caso.

Por enquanto, a cooperação entre os dois países está ocorrendo de maneira informal. De acordo com pessoas próximas ao caso, investigadores brasileiros já fizeram os primeiros contatos com os espanhóis. Mas os procuradores de ambos os lados estão estudando formas de tornar oficial o procedimento, a troca de dados e mesmo de uma ordem de busca.

Em Brasília, o interesse é o de saber se os dados colhidos pela Justiça na Espanha também poderiam ser usados em um inquérito no País contra o ex-cartola, inclusive por evasão. Mesmo detido no território nacional à pedido de Madri, Teixeira jamais seria extraditado por conta das leis nacionais. Mas poderia responder a um processo ou pelo menos ser questionado, com suas respostas sendo enviadas aos juízes na Espanha.

Conforme o Estado revelou ainda em 2013, acordos secretos permitiram que a renda dos jogos da seleção fosse desviada para uma empresa em nome de Sandro Rosell, aliado de Teixeira e ex-presidente do Barcelona. No mês passado, Rosell foi preso e a Justiça espanhola apontou que parte do dinheiro que ia para sua empresa, a Uptrend, terminava com o próprio Teixeira. "Durante 2010, Teixeira e sua mulher eram detentores de dois cartões Visa Platinum, com contas da Uptrend em Andbank", apontou a Justiça espanhola.

"Resulta da investigação que, de sua posição de presidente a CBF, (Teixeira) influenciou na concessão de direitos audiovisuais aos jogos da seleção, e, enquanto isso, por trás e para o prejuízo da CBF, Rosell negociava um contrato de intermediação", apontou o documento do processo do caso do ex-dirigente catalão.

Os investigadores concluem, portanto, que "parte dos fundos não foi para a CBF, senão que, de uma forma fraudulenta, foram ao próprio Teixeira". De acordo com a Audiência Nacional da Espanha, os fatos apurados levam a crer que o brasileiro acabaria sendo o "destinatário do dinheiro, e não a confederação (CBF)".

As autoridades espanholas ainda chegam à constatação de que o delito de Teixeira foi "a apropriação por parte do presidente da CBF dos fundos pagos para obter os direitos dos partidos jogados pela seleção brasileira".

Desde a prisão de Rosell, a defesa de Ricardo Teixeira tem negado qualquer tipo de irregularidade. Mas a Procuradoria Geral agora busca detalhes das suspeitas e como isso implicaria em crimes no Brasil.

Nesta semana, a imprensa espanhola revelou que a Justiça em Madri teria emitido uma ordem internacional de busca e captura contra o ex-presidente da CBF. Nesta terça-feira, fontes próximas ao caso confirmaram ao Estado que a ordem de fato está emitida. Mas ainda não entrou no sistema da Interpol e nem chegou oficialmente em documentos até Brasília.

A medida partiu da juíza Carmen Lamela, da Audiência Nacional. "Teixeira obteve, de forma indireta, mediante a um emaranhado societário que se nutria da renda do acordo da ISE para a Uptrend, grande parte dos 8,3 milhões de euros que a ISE transferiu para a Uptrend pela suposta intermediação desta última", afirmou. A decisão da juíza seria de 12 de junho.

A ordem foi dada 15 dias depois da prisão de Rosell e quando os procuradores Vicente González Mota e María Antonia Sanz solicitaram que a Audiência Nacional emitisse a decisão de captura do brasileiro.

Se fosse de fato detido, Teixeira não seria extraditado para a Espanha, onde é acusado de fazer parte de uma "organização criminosa". Como regra, o Brasil não extradita pessoas com sua nacionalidade. Mas um inquérito, com base nas informações oficiais da Espanha, poderia ser aberto no País.

Fonte: Estadão
Leia Mais ››

Nenê pede para não enfrentar São Paulo e pode estar de saída do Vasco

Nenê já completou 7 jogos e não pode se transferir para times da Série A
A diretoria do Vasco foi procurada por Nenê, que manifestou o desejo de não viajar com a delegação que enfrenta o São Paulo, nesta quarta-feira, no Morumbi (SP). Procurado pelo UOL Esporte, o empresário do jogador, Gilvan Costa, foi questionado se o motivo seria uma proposta, mas o agente negou e se mostrou surpreso com a atitude de seu atleta.

"Eu vou até ligar para ele para saber se foi alguma questão pessoal, de família, de saúde... Mas proposta não tem nenhuma, não", declarou.

Embora seu empresário não queira dar detalhes, Nenê tem sondagens da Europa e países árabes. Como já disputou mais de sete jogos neste Campeonato Brasileiro, ele não pode atuar por outra equipe da Série A nesta temporada.

O desejo do jogador em mudar de ares vem desde o início do ano. Publicamente, o meia nega a situação, mas nos bastidores de São Januário isso é sabido. 

Nenê já demonstrou insatisfações internamente com o técnico Milton Mendes, principalmente quando foi barrado durante três rodadas consecutivas.

O treinador, aliás, testou na vaga dele os meias Guilherme Costa e Escudero e a tendência é a de que um deles inicie a partida contra o Tricolor como titular. A delegação viaja na tarde desta terça-feira para a capital paulista.

Antes de completar sete jogos, Nenê havia recebido uma proposta do Vitória e sondagens do Grêmio e do Botafogo.

Fonte: Uol
Leia Mais ››

Polícia Federal investiga elo entre Chapecoense, Conmebol e LaMia

A tragédia com a Chapecoense, em 2016, está no centro de investigação da Polícia Federal.

As autoridades tentam apurar por que, em meio a alternativas de voos comerciais, foi contratada a LaMia, empresa aérea boliviana dona da aeronave que caiu com 77 pessoas a bordo –71 morreram– em 29 de novembro, na Colômbia, com atletas, cartolas, comissão técnica, convidados e jornalistas.

A PF também investiga se as equipes brasileiras eram obrigadas a usar serviços da companhia por determinação de uma entidade superior, notadamente a Conmebol (Confederação Sul-Americana).

Na Argentina, a AFA (Associação de Futebol Argentino) repassava a clubes carta da Conmebol que indicava a LaMia para transporte em torneios do continente.

A investigação começou no início deste ano e está em andamento. Os policiais, como de praxe, não fazem comentários a respeito de inquéritos que estão abertos.

Apesar disso, a Folha apurou que os brasileiros sobreviventes na tragédia já foram ouvidos pelos investigadores nos últimos meses.

O zagueiro Neto, o goleiro Jackson Folmann, o lateral Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel prestaram depoimento. A maioria das oitivas ocorreu em Chapecó. A eles foi pedido sigilo para que o conteúdo da apuração não vazasse.

Outra envolvida no acidente que teria sido ouvida pelos investigadores é a controladora Celia Castedo, que autorizou o plano de voo da LaMia entre a Bolívia e a Colômbia –após o acidente, ela pediu refúgio no Brasil.

Além da PF, o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) também conduz uma apuração sobre a tragédia e ouviu os sobreviventes.

A comitiva que se dirigia à Colômbia deixou São Paulo em 28 de novembro de 2016 em aeronave da BOA, também boliviana. O destino era Santa Cruz de la Sierra.

De lá, o grupo pegou o avião da LaMia até Medellín. Ele caiu nas montanhas de Cerro Gordo, no município colombiano de La Unión.

Agentes da PF viajaram ao local para ajudar no processo de reconhecimento e no traslado dos corpos ao Brasil.

Antes do desastre, na véspera do jogo de ida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional (COL), a LaMia teve quatro pedidos de voar para o Brasil negados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Além disso, a empresa estava sem seguro por ter atrasado o pagamento da apólice –outros problemas apontados foram pane seca e excesso de peso na aeronave.

Mesmo que o tivesse honrado a cobertura de seguro, esse não incluía Brasil –ela viajava irregularmente ao país– e Colômbia. A LaMia tinha condição de viajar apenas para Peru, Síria, Afeganistão, Iêmen e alguns países da África. A seguradora não repassou o dinheiro para as famílias das vítimas.

Luiz Antônio Pallaoro, vice-diretor jurídico da Chapecoense, disse que o clube não foi procurado pela Polícia Federal. Ele afirmou que foi a LaMia que ofereceu os serviços para o transporte.

"A informação que temos é que a LaMia entrou em contato com a gente no ano passado. Essa informação obtive na época do acidente com os funcionários do clube", afirmou.

RECOMENDAÇÃO A CLUBES

Não teriam sido só times brasileiros a receberem recomendação para usar os serviços da companhia aérea boliviana.

A Folha apurou com um dirigente argentino que a AFA (Associação de Futebol Argentino) repassou aos clubes carta da Conmebol endossando a contratação da LaMia, que seria a empresa de confiança da entidade sul-americana.

A maioria seguiu a orientação, mas clubes como River Plate e Boca Juniors resistiram à ideia por já terem acordos com agências para o transporte da delegação.

A seleção argentina também usou a LaMia por sugestão da confederação. Dezenove dias antes do acidente com a delegação da Chapecoense, o elenco com Lionel Messi viajou com a empresa a Belo Horizonte para enfrentar o Brasil, pelas eliminatórias para a Copa.

Um integrante da comissão técnica disse à reportagem que os jogadores reclamaram das condições da aeronave, a mesma que cairia nos arredores de Medellín naquele mês de novembro.

Cartolas da AFA prometeram jamais requisitar novamente os serviços da companhia boliviana e disseram que, para evitar deslocamentos internos em aviões semelhantes, apenas marcariam jogos da seleção fora de Buenos Aires em caso de extrema necessidade.

A Folha entrou em contato com a assessoria de imprensa da Conmebol para saber a posição da entidade. Até a conclusão desta edição, não houve resposta.

Fonte: Folha de São Paulo
Leia Mais ››

Família de jogador morto no Canindé processa Portuguesa e pede R$ 1,3 mi

Lucas Santos, atleta da base da Lusa, foi encontrado morto na piscina do CanindéA família do jovem Lucas Santos, jogador das categorias de base da Portuguesa que foi encontrado morto na piscina do Canindé em outubro do ano passado, está processando o clube por danos morais e materiais. A família pede uma indenização que gira em torno de R$ 1,3 mi no total.

Os parentes de Lucas responsabilizam a Portuguesa por ser negligente no caso e por omissão de socorro. Na ocasião, o atleta participava de um churrasco promovido pelo time Sub-17 da Lusa nas dependências do clube para celebrar uma vitória do time. O jogador teria pulado na piscina para nadar. Mas só foi encontrado morto dentro da piscina no dia seguinte. O laudo do IML apontou asfixia como causa da morte.

"A família requer uma indenização e entende que é responsabilidade do clube, que não prestou socorro e deveria ter observado melhor o que aconteceu com o falecimento dele. Ele apareceu morto na piscina, não tinha Corpo de Bombeiros no momento em que a piscina foi liberada para os meninos, são vários detalhes. A gente entende que a Portuguesa tem, sim, responsabilidade", esclarece a advogada responsável pelo caso Rebeca Sena.

Além de danos morais pela morte do garoto, a família requer danos materiais porque considera que o jovem atleta tinha um futuro promissor nos gramados e poderia ajudar a família financeiramente.

"Ele era um dos sobrinhos mais velhos, tinha o sonho de construir uma casa para a mãe e para os tios que possuíam a sua guarda. Então tem os danos morais pelo falecimento, uma perda inestimável, e material pelo futuro promissor".

A advogada afirma que já juntou as provas do inquérito e entrou com a ação. O clube já apresentou a sua defesa, informação confirmada pelo departamento jurídico da Portuguesa. Mas os juízes ainda não proferiram a sentença.

Lucas foi criado pelas tias Magda e Monica Santos e pelo avô Ivanoé, que na verdade era marido de sua avó. Ele tinha contato com a mãe biológica Mércia, mas a distância atrapalhava uma relação mais próxima, já que ela mora no interior de Pernambuco.

A família pede a Justiça seja feita. "Estamos aí lutando. São vários fatores: não oferecer socorro, não ter salva vidas, ele sendo de menor, os cuidados que não tiveram. É uma questão de querer resposta, era um menino maravilhoso, cheio de sonhos. Seria inaceitável ficar de braços cruzados. Meu sobrinho morreu, ele tinha um futuro pela frente", afirma a tia Magda.

Fonte: Uol
Leia Mais ››

Por R$ 63, mercado da Suíça começa a vender maço com cigarros de maconha

Supermercado da Suíça já começou a vender cigarros de maconha HeimatUma rede de supermercados da Suíça começou a oferecer maços de cigarro de maconha a clientes, de forma legal. Os interessados em adquirir o produto em um dos mercados mais tradicionais do país precisam desembolsar 20 dólares (cerca de R$ 63).

Segundo o jornal USA Today, o Coop passará a oferecer maços de cigarro da marca Heimat de forma oficial a partir da próxima segunda-feira (24). A rede tem 700 lojas em todo o país, mas alguns estabelecimentos já estão vendendo os cigarros.

A marca diz ser a "primeira e única a vender cigarros contendo maconha em um supermercado regular", segundo os seus fabricantes suíços Koch & Gsell.

A maconha que é vendida na Suíça contém 1% de THC (tetraidrocanabinol), número mais alto do que o 0,2% permitido em outros países que legalizaram o produto.

O fabricante suíço adverte em seu site que "os cigarros não devem ser usados no exterior, pois isso pode resultar em processo por causa das diferenças entre os dois limites de THC admissíveis em outros países".

A Suíça permite que apenas as pessoas maiores de 18 anos comprem o produto - desde que apresentem um documento comprovando a idade. O diretor de marketing do Heimat justificou o preço de venda do maço de cigarro de maconha.

"Este cigarro é mais caro porque a cannabis custa muito mais do que o tabaco. Por essa perspectiva, nossos cigarros são vendidos a um preço baixo".

Fonte: Uol
Leia Mais ››

Telefonia fixa perde mais de 75 mil linhas em maio

Imagem Ilustrativa Em maio, a telefonia fixa registrou uma redução de 75.357 mil linhas em operação em todo o país. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as empresas autorizadas perderam 2.277 linhas (queda de 0,01%) linhas e as concessionárias, 73 mil (menos 0,3%) de abril para maio deste ano. Comente no fim da matéria.

Nos últimos 12 meses, de acordo com Anatel, houve redução de 1,5 milhão de linhas de telefonia fixa: pouco mais de 479 mil das empresas autorizadas (queda de 2,75%) e 1,07 milhão das empresas que têm concessão pública dos serviços (redução de 4,2%).

Em maio, o Distrito Federal liderou o ranking de redução de linhas de telefone fixo de empresas autorizadas, com menos 308,2 mil linhas (queda de 50,2%), seguido de Minas Gerais com menos 257,7 mil (redução de 18,93%). Já em relação às linhas de concessionárias, os estados que registraram as maiores quedas foram São Paulo, com menos 376,41 mil (queda de 3,72% em relação a abril), e o Rio de Janeiro, com menos 185,69 mil linhas (redução de 6,06%).

Apesar da redução no total de linhas fixas, houve, nos últimos 12 meses, aumento no número de linhas oferecidos pelas concessionárias em alguns estados: Goiás, com 5,78 mil novas linhas (0,76%), seguido do Piauí, com 455 linhas (0,3 %). Já Mato Grosso, com 360,72 mil linhas fixas (234,21%), e Santa Catarina, que teve acréscimo de 128,03 mil linhas (19,13%), aparecem na frente no grupo das autorizadas.

Entre as prestadoras, em todo o país, a Oi apresentou a maior queda no total de linhas de telefonia fixa, com 713,27 mil a menos nos últimos 12 meses, seguida da Vivo, com menos 378,38 mil linhas.

Fonte: Portal Correio
Leia Mais ››

Gol cancela 70 voos durante obras no aeroporto de São Gonçalo

A companhia aérea Gol informou nesta terça-feira (18), o cancelamento de 70 voos e a readequação de outros 112 devido ás obras na pista do aeroporto internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, no período de 11 de setembro a 10 de outubro, das 17h às 5h.

Todos os clientes que adquiriram bilhetes com a Gol estão sendo informados sobre as mudanças e reacomodados em outros voos, escolhidos de acordo com a disponibilidade e horários mais próximos aos originais.

Os passageiros com viagem programada para o período das obras podem consultar a situação de seus voos no site (www.voegol.com.br) ou no aplicativo. Podem ainda entrar em contato com a Central de Atendimento, pelo telefone 0300 115 2121.

Fonte: Portal no Ar
Leia Mais ››

Geleira suíça revela corpos de casal desaparecido há 75 anos

Corpos estavam desaparecidos há 75 anos nos Alpes (Foto: handout / Glacier 3000 / AFP )
Os corpos congelados de um casal suíço que desapareceu há 75 anos nos Alpes foram encontrados em uma geleira que está encolhendo, relatou a mídia suíça nesta terça-feira (18).
Marcelin e Francine Dumoulin, pais de 7 filhos, tinham saído para tirar leite de suas vacas em um campo no vilarejo de Chandolin, no distrito de Valais, no dia 15 de agosto de 1942.
"Nós passamos nossas vidas inteiras procurando por eles, sem parar. Nós pensávamos que poderíamos dar a eles o funeral que mereciam um dia", disse a filha mais nova do casal, Marceline Udry-Dumoulin, de 79 anos, ao jornal "Le Matin".
"Eu posso dizer que após 75 anos de espera essa notícia me dá um profundo sentimento de calma", acrescentou.
Em um comunicado divulgado durante a noite, a polícia de Valais disse que dois corpos com documentos de identidade foram descobertos na última semana por um trabalhador na geleira Tsanfleuron perto de um teleférico de esqui sobre o resort Les Diablerets a uma altitude de 2.615 metros.
Testes de DNA serão realizados para confirmar a identidade do casal.
"Os corpos estavam deitados um ao lado do outro. Era um homem e uma mulher usando roupas datadas do período da Segunda Guerra Mundial", disse Bernhard Tschannen, diretor da Glacier 3000, ao jornal.
"Eles estavam perfeitamente preservados na geleira e seus pertences estavam intactos".
"Nós pensamos que eles podem ter caído dentro de uma fenda, onde eles ficaram por décadas. Na medida que a geleira recuou, ela revelou seus corpos", disse ao jornal "Tribune de Geneve".

Fonte: G1
Leia Mais ››

Moro rejeita questionamentos da defesa de Lula sobre condenação no caso do triplex

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele discursou em SP um dia após a divulgação da sentença (Foto: Andre Penner/AP)
O juiz Sérgio Moro negou, nesta terça-feira (18), que tenha havido omissões, obscuridades ou contradições na sentença que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Lula pode recorrer em liberdade.
Na Operação Lava Jato, o ex-presidente foi condenado no processo que investigou se o triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo, era propina paga pela OAS a Lula por meio de contratos firmados pela empresa na Petrobras.
Lula negou as acusações. Na avaliação dos advogados que o representam, Moro teve atuação política na sentença. Esta foi a primeira vez na história que um ex-ocupante da Presidência foi condenado por um crime comum no Brasil.
Depois da sentença, a defesa do ex-presidente, então, pediu esclarecimentos sobre 10 tópicos da decisão de Moro. Esse recurso apresentado chama-se "embargos de declaração" e é usado como instrumento por advogados para solicitar ao juiz revisão de pontos da sentença.
Análise
Segundo o juiz, inexistem omissões, obscuridades ou contradições na sentença. Leia a íntegra da decisão.
Sobre o questionamento dos advogados de que o juiz desqualificou instrumentos de auditoria, interna e externa, que não detectaram atos de corrupção ligados ao ex-presidente, Moro rebateu afirmando que, nesse critério, ex-diretores da Petrobras que admitiram ter cometido crimes também deveriam ser absolvidos.
"A seguir o critério da Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva, os Diretores da Petrobrás Paulo Roberto Costa, Renato de Souza Duque e Nestor Cuñat Cerveró, que mantinham contas secretas com saldos milionários no exterior e confessaram seus crimes, também deveriam ser absolvidos porque as auditorias internas e externas da Petrobrás, inclusive também a Controladoria Geral da União - CGU, não detectaram na época os crimes", escreveu o juiz.
Moro também comparou o caso de Lula ao do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, condenado na Lava Jato.
“Assim não fosse, caberia, ilustrativamente, ter absolvido Eduardo Cosentino da Cunha (...) Ele também afirmava como álibi que não era o titular das contas no exterior que haviam recebido depósitos de vantagem indevida, mas somente "usufrutuário em vida".
Moro acrescentou que "em casos de lavagem, o que importa é a realidade dos fatos segundo as provas e não a mera aparência".
Ao protocolarem os embargos de declaração, os advogados do ex-presidente afirmaram que Moro foi omisso quanto à transferência do empreendimento para a OAS que, segundo a defesa, indica que Lula não é dono do triplex.
Inicialmente, o condomínio onde está localizado o triplex era um empreendimento da Cooperativa dos Bancários do Estado de São Paulo (Bancoop). Porém, a Bancoop quebrou e transferiu o empreendimento para o grupo OAS.
Moro reconheceu que outros proprietários de cota-parte do empreendimento também não informaram, no prazo previsto, se ficariam ou não com o apartamento, na ocasião, sob responsabilidade da OAS.
Entretanto, no entendimento de Moro, a ex-primeira-dama Marisa Letícia e Lula estavam consolidados como donos do triplex.
"(...) A falta de referência ao nome destes mais um elemento probatório no sentido de que, para BANCOOP e a OAS, a situação deles já estava consolidada, como proprietários de fato do apartamento triplex e não como pessoas que não teriam realizado a opção de desistência. Aliás, sobre esse documento, assim como sobre outros, nada falou a Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva em suas alegações finais".
De acordo com o juiz, "a corrupção perfectibilizou-se com o abatimento do preço do apartamento e do custo reformas da conta geral de propinas, não sendo necessário para tanto a transferência da titularidade formal do imóvel".
Outro aspecto questionado pela defesa foi, de acordo com os advogados, a omissão quanto à origem do dinheiro usado para o custeio do triplex e para as reformas.
Moro argumentou que não afirmou que os valores obtidos pela Construtora OAS, nos contratos com a Petrobras, foram utilizados para pagamento da vantagem indevida para o ex-presidente.
“Aliás, já no curso do processo, este Juízo, ao indeferir desnecessárias perícias requeridas pela Defesa para rastrear a origem dos recursos, já havia deixado claro que não havia essa correlação.”
Segundo o juiz, nem a corrupção, nem a lavagem exigem ou exigiriam que os valores pagos ou ocultados fossem originários especificamente dos contratos da Petrobras.
Moro afirmou, que algumas questões da defesa “não são próprias de embargos de declaração”. O juiz cita como exemplo as críticas às afirmações feitas pelo Juízo de que os advogados de Lula adotaram "táticas bastante questionáveis", "de intimidação" ou "diversionismo".
Para Moro, tais questionamentos “não são centrais ao julgamento do caso” e devem ser levados à Corte de Apelação”.
O juiz declarou, ainda, que a defesa deve ser combativa, mas “deve igualmente manter a urbanidade no tratamento com as demais partes e com o julgador, o que, lamentavelmente, foi esquecido por ela em vários e infelizes episódios”.
Em mais de uma vez, durante as audiências, os advogados de Lula e o juiz Sérgio Moro discutiram.

Possível candidatura
A defesa do ex-presidente ainda pode recorrer ao próprio juiz, com novos embargos.
Caso contrário, os advogados de Lula têm prazo de cinco dias para apresentar a apelação ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre. Entretanto, isso só pode ser feito depois que eles forem notificados da decisão desta terça-feira.
Segundo o TRF4, o calendário eleitoral de 2018 ainda não foi divulgado. Porém, a lei que estabelece as normas para as eleições permite que convenções para escolher os candidatos sejam feitas a partir de 20 de julho do ano do pleito.
Em seguida, o partido pode fazer o registro da candidatura. Lula só deve ficar fora da disputa se o TRF4 confirmar a decisão de Moro até esse registro.
Recurso do MPF
Na segunda-feira (17), o MPF apresentou um recurso de apelação contra a sentença. No documento, os procuradores pediam que Moro abrisse o prazo para que sejam apresentadas as razões do recurso do MPF.
No despacho desta terça-feira, Moro abriu o prazo.
“Deverão o MPF e o Assistente de Acusação, este querendo, apresentar suas razões. O MPF com o prazo de oito dias, o Assistente de Acusação com três dias após o fim do prazo do MPF e independentemente de nova intimação”.

 (Foto: Arte/G1)
(Foto: Arte/G1)

Fonte: G1
Leia Mais ››

Polícia Civil realiza operação para prender envolvidos com o jogo Baleia Azul

Polícia Civil do Rio prendeu jovem na comunidade Nova Era, em Nova Iguaçu (Foto: Divulgação / Polícia Civil)A Polícia Civil do Rio de Janeiro realiza na manhã desta terça-feira (18) uma operação no RJ e em outros oito estados contra o jogo da Baleia Azul, uma corrente que tenta induzir virtualmente seus participantes, a maioria menores de 16 anos, ao suicídio por meio de 50 desafios. Um suspeito foi preso na favela Nova Era, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Matheus Silva, de 23 anos, confessou aos policiais que era um dos "curadores" do jogo.
O Baleia Azul não existe oficialmente – não há um site ou algo parecido. É uma iniciativa de criminosos que usam as redes sociais para impor desafios macabros a crianças e adolescentes. Um grupo de organizadores, chamados "curadores", propõe uma sequência de missões que envolvem isolamento social, automutilação e suicídio.
Sob comando da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), os agentes tentam cumprir 24 mandados de busca e apreensão no Amazonas, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Havia apenas um mandado de prisão, que já foi cumprido no Rio de Janeiro.
"Esse rapaz que foi preso, nós já tínhamos materialidade suficiente para pedir a prisão dele. Ele já confessou que era curador, que tinha influenciado 30 vítimas, mas temos nos autos cerca de 40 vítimas", disse a delegada-assistente Fernanda Fernandes.
Os mandados foram expedidos pelo juiz Alexandre Abrahão, da 1ª Vara Criminal, e o objetivo é identificar e prender supostos "curadores" do jogo, que chegou a causar ferimentos em vítimas no Rio e tem ligação suspeita com casos no Mato Grosso e na Paraíba. Algumas das vítimas, ao tentarem deixar o jogo, foram ameaçadas por essas pessoas.
Às 8h50, os policiais já haviam apreendido telefones celulares e computadores em todos os estados onde a ação foi realizada. Os agentes vão avaliar o material apreendido, que vai ajudar a identificar os outros curadores do Baleia Azul. São 24 equipes de agentes em 20 municípios de todo o país, com pelo menos 3 agentes em cada. Assim, há pelo menos 72 policiais envolvidos.

Polícia dá detalhes sobre operação no RJ e em outros oito estados contra o jogo da Baleia Azul (Foto: Larissa Johnsson )
Polícia dá detalhes sobre operação no RJ e em outros oito estados contra o jogo da Baleia Azul (Foto: Larissa Johnsson )

Investigações
Segundo os responsáveis pela investigação, o trabalho foi uma corrida contra o tempo para preservar a vida dos jovens envolvidos. "Algumas vítimas estavam muito marcadas quando nós as encontramos", explicou a delegada Daniela Terra. Todas foram encaminhadas para atendimento psicológico.
A delegada afirmou que os pais devem avaliar se as crianças têm maturidade para ter um perfil em rede social.
As rondas virtuais por redes e serviços disponibilizados pela internet ajudaram a Polícia Civil do Rio de Janeiro a identificar a migração do jogo, que acontecia em alguns países da Europa, para as cidades brasileiras.
Segundo a Safernet (associação que combate violação de direitos humanos na internet), o jogo surgiu de uma notícia falsa na Rússia que se espalhou a partir de 2015. Desde abril, a DRCI investiga várias pessoas que estariam relacionadas aos crimes envolvendo o Baleia Azul.
Recomendações
As recomendações para as famílias são: monitorar o uso da internet, frequentar as redes sociais dos filhos, observar comportamentos estranhos e, sobretudo, conversar e conscientizar os adolescentes a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira. Atenção redobrada com os jovens que apresentem tendência a depressão, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul.
Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias.
O G1 ouviu especialistas que dão dicas de como lidar com o tema:
1. Fique atento às mudanças de comportamento
Uma mudança brusca de comportamento pode ser sinal de que a criança ou o adolescente esteja sofrendo com algo que não saiba lidar, segundo Elizabeth dos Reis Sanada, doutora em psicologia escolar e docente no Instituto Singularidades.
“Isolamento, mudança no apetite, o fato de o adolescente passar muito tempo fechado no quarto ou usar roupas para se esquivar de mostrar o corpo são pistas de que sofre algo que não consegue falar”, afirma a especialista.
2. Compartilhe projetos de vida
Para entender se a criança ou adolescente está com problemas é fundamental que os pais se interessem por sua rotina. Elizabeth reforça que este deve ser um desejo genuíno, e não momentâneo por conta da repercussão do jogo da Baleia Azul.
“Os pais devem conhecer a rotina dos filhos, entender o que fazem, conhecer os amigos”, diz Elizabeth. Ela lembra que muitos adolescentes “falam” abertamente sobre a falta de motivação de viver nas redes sociais. Aos pais cabe incentivar que os filhos tenham projetos para o futuro, tracem metas como uma viagem, por exemplo, e até algo mais simples, como definir a programação do fim de semana.
3. Abra espaço para diálogo
Filhos devem se sentir acolhidos no âmbito familiar, por isso, Elizabeth reforça que é necessário que os pais revertam suas expectativas em relação a eles. “É preciso que o adolescente se sinta à vontade para falar de suas frustações e se sinta apoiado. Se ele tiver um espaço para dividir suas angústias e for escutado, tem um fator de proteção”.
Angela Bley, psicóloga coordenadora do instituto de psicologia do Hospital Pequeno Príncipe, diz que o adolescente com autoestima baixa, sem vínculo familiar fortalecido é mais vulnerável a cair neste tipo de armadilha.
“O que tem diálogo em casa, não é criticado o tempo todo, tem autoestima melhor, tem risco menor. Deixe que ele fale sobre o jogo, o que sente, é um momento de diálogo entre a família”, ressaltou a especialista.
Angela reforça que muitas vezes o adolescente não tem capacidade de discernir sobre todo o conteúdo ao qual é exposto. “Por isso é importante o diálogo franco. Não pode fingir que esse tipo de coisa não existe porque ele sabe que existe.”
4. Adolescentes devem buscar aliados
O adolescente precisa buscar as pessoas em que confia para compartilhar seus anseios, seja no ambiente escolar ou familiar, segundo as especialistas. “Que ele não ceda às ameaças de quem já está em contato com o jogo e entenda que quem está a frente deles são manipuladores”, conta Elizabeth.
5. Escolas podem criar iniciativas pela vida
Assim como a família, as escolas podem ajudar a identificar situações de risco entre os alunos. “Não é qualquer criança que vai responder ao chamado de um jogo como esse, são os que têm situações de vulnerabilidade. A escola ajuda a construir laços e tem papel fundamental de perceber como os alunos se desenvolvem”, afirma Elizabeth.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Quase 550 crianças sofreram maus-tratos em coral católico alemão em mais de 45 anos

Investigação diz que 547 crianças do coral católico alemão de Regensburger foram vítimas de maus-tratos, incluindo abuso sexual (Foto: Reuters)Pelo menos 547 crianças do famoso coral católico alemão de Regensburger foram vítimas de maus-tratos, incluindo abuso sexual, cometidos entre 1945 e o início dos anos 1990 - aponta um informe da investigação publicado nesta terça-feira (18).
Cerca de 500 menores do coral dos Regensburger Domspatzen sofreram maus-tratos físicos, e outros 67, violência sexual, incluindo estupro, declarou Ulrich Weber, advogado encarregado pela Igreja de esclarecer esse caso que veio à tona em 2010.
Os membros do coral oficial dessa diocese são conhecidos como os "Pardais da Catedral de Regensburger".
Esses números são amplamente superiores aos publicados em janeiro de 2016, quando um relatório intermediário havia apontado 231 vítimas. Em fevereiro de 2015, as autoridades católicas locais reconheceram apenas 72 vítimas.
Os fatos revelados incluem delitos e crimes que vão do estupro à privação de alimentos, passando por espancamentos e agressões sexuais.
A maioria dos casos prescreveu, porém, e os 49 autores identificados no relatório não serão processados. Em contrapartida, cada vítima deverá receber 20.000 euros de indenização.
As vítimas descreveram sua passagem por este coro milenar e mundialmente conhecido como "uma prisão, um inferno e um campo de concentração", ou ainda, como "o pior momento de sua vida, marcado pelo medo, pela violência e pelo sofrimento", segundo Weber.
O caso diz respeito, em particular, aos maus-tratos ocorridos no período em que o irmão do papa Bento XVI, Dom Georg Ratzinger, dirigiu o coral de jovens cantores, entre 1964 e 1994.
Monsenhor Georg Ratzinger, que agora tem 93 anos de idade, assegura que não tinha conhecimento dos abusos sexuais cometidos neste coro fundado na Idade Média, em 975.
De acordo com Weber, porém, o irmão do papa emérito estava ciente dos crimes e preferiu "fechar os olhos".

Lawyer Ulrich Weber, advogado responsável por investigar abusos em coral alemão (Foto: Armin Weigel / dpa / AFP)
Lawyer Ulrich Weber, advogado responsável por investigar abusos em coral alemão (Foto: Armin Weigel / dpa / AFP)

A "cultura do silêncio" reinava no coro, onde a proteção da instituição parecia prevalecer, estima o advogado.
Em 2010, um ex-membro do coro, o maestro e compositor alemão Franz Wittenbrink, testemunhou à revista alemã "Der Spiegel" a violência, da qual Georg Ratzinger era capaz, citando, mais amplamente, um "sistema de castigos sádicos ligados ao prazer sexual".
Este escândalo é mais um dos muitos a sacudir a Igreja Católica nos últimos anos. Bento XVI e seu sucessor Francisco pediram perdão pelos casos de pedofilia que abalaram o clero.
Na Alemanha, uma escola jesuíta em Berlim também esteve no centro de um escândalo de pedofilia, depois que a própria instituição admitiu os abusos sexuais sistemáticos cometidos por dois padres contra os alunos nos anos 1970 e 1980.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Consumo de energia elétrica cresceu 3% no RN no 1º semestre de 2017

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) consolidou os números referentes ao consumo de energia elétrica no Rio Grande do Norte no primeiro semestre de 2017. No geral, o consumo cresceu 3%, quando comparado ao mesmo período de 2016.

O percentual ficou abaixo do crescimento médio anual registrado na última década no estado, que foi de 4,15%, mas sinaliza uma leve recuperação na demanda de energia elétrica, que em 2015 e 2016 teve crescimento de 0,92% e 1,28% respectivamente.

O aumento na demanda de energia do consumidor potiguar advém principalmente da classe residencial, que registrou alta de 4,34% no semestre, impulsionada pelo incremento de novas unidades consumidoras e um calendário de leitura com mais dias de faturamento no primeiro semestre, quando comparado com 2016.

A classe de maior impacto negativo no consumo foi a industrial, que apresentou queda de 0,89%, sendo o setor de extração de petróleo e gás natural o maior responsável pela redução no consumo da classe.

O comércio registrou alta de 3,99% no primeiro semestre, puxado pelo comércio varejista e alojamentos. De acordo com o IBGE, nos cinco primeiros meses de 2017, a variação do volume de vendas no comércio varejista foi de 2% negativos, contrastando com a variação no volume de serviços, que teve desempenho de 2,1% positivos, também comparando o acumulado até maio/17 contra maio/16.

A melhora no volume de chuvas e da situação hídrica do estado contribuiu para o desempenho positivo das classes do Serviço Público e Rural, que cresceram 0,85% e 6,22% respectivamente, visto a correlação que ambas tem essa com essa variável.

Perspectivas para o encerramento de 2017
A Cosern estima um crescimento de 0,89 % no consumo de energia elétrica para o ano de 2017. A perspectiva é um resultado menor no segundo semestre, devido a fatores como quantidade de feriados, redução da temperatura média e continuidade da dubiedade no cenário político-econômico. De acordo com o último relatório FOCUS, emitido pelo Banco Central do Brasil, a previsão para o crescimento do PIB nacional é de 0,34% em 2017 (Relatório divulgado em 14/07/17).

Em relação ao número de consumidores, a estimativa é um incremento de 3,43% de novas unidades no estado.

No primeiro semestre de 2017, a Cosern contabilizou 1.403.766 unidades consumidoras, sendo assim classificados:
Residencial: 87,1%
Comercial: 6,7 %
Rural: 4,4 %
Industrial: 0,1 %
Serviço público: 0,2 %
Outros: 1,5 %

Fonte: Portal no Ar
Leia Mais ››

Robinson anuncia apoio à produção salineira do RN

O governador Robinson Faria se reuniu no final da tarde desta segunda-feira, 17, no auditório do Sesi em Mossoró, com representantes da indústria salineira no Rio Grande do Norte, atividade que produz 96% do sal brasileiro.

“Participar desta reunião aqui em Mossoró mostra a importância que o governador dá à questão do sal e aos pleitos dos empresários do setor. Venho trazer o meu total e irrestrito apoio àqueles que trabalham na cadeia do sal no Rio Grande do Norte, uma das principais atividades da nossa economia. Atividade que vem sofrendo injustiças ao longo do tempo, com a redução da alíquota para importação de sal produzido no Chile e com as restrições impostas pela legislação federal. Os salineiros hoje são sobreviventes. O que precisar ser feito para reverter as dificuldades terá o meu apoio e da equipe do nosso Governo que é parceiro dos salineiros do RN”, afirmou Robinson Faria, lembrando que assinou a concessão de incentivos fiscais ao setor com vigência para os quatro anos do seu mandato.

Robinson Faria reconheceu que hoje há um impasse na cadeia produtiva do sal no RN. E considerou que “a luta para defender a indústria salineira é suprapartidária e deve contar com apoio de toda a classe política do Estado. “Essa luta deve estar acima dos partidos. E requer muita ousadia de todos nós, para que possamos convencer autoridades e órgãos federais a retirar as barreiras que estão nos prejudicando”.

O Governador se comprometeu a marcar audiência com o presidente da República para tratar do pleito dos salineiros. “Vou solicitar a audiência ao Presidente e que ele inclua na reunião a presença do ministro do Meio Ambiente. Importante também que a nossa Assembleia Legislativa e as Câmaras Municipais de Mossoró e municípios produtores de sal aprovem leis colocando a atividade como de interesse social. Isso reforçará nossa luta”, recomendou.

O chefe do Executivo também defendeu a união pela recuperação do Porto Ilha em Areia Branca, por onde grande parte do sal é embarcado com destino a outros países e aos demais estados brasileiros.

O PROBLEMA

Os produtores de sal no RN alegam dificuldades para a produção com a restrição, pelo novo Código Florestal, de áreas ocupadas há décadas, conhecidas como “apicuns” e “salgados” para proteção ambiental. Eles também defendem que a indústria salineira seja reconhecida como atividade de interesse social em âmbito nacional, pela sua importância para as indústrias alimentícia, química e para a purificação de água.

O setor pede apoio político para modificar o atual Código Florestal que proíbe áreas de “apicuns e salgados” – margens de mananciais de água para a produção de sal. Para isso será preciso mudar a lei federal.

Para vereadora em Mossoró Sandra Rosado, “é preciso uma grande mobilização e apoio político da bancada federal do RN, para modificar a lei, que, como está, vai restringir muito a nossa atividade, inclusive reduzindo a produção e os empregos gerados”, disse.

A deputada estadual Larissa Rosado destacou a importância da atividade da produção de sal tanto econômica como social, vez que gera 15 mil empregos em Mossoró e região. Ela lembrou que a Assembleia Legislativa apoia a luta em favor da indústria salineira, externada através de uma moção de apoio. “Precisamos fortalecer a produção do sal, até para mantermos e ampliarmos uma indústria que movimenta a economia e oferta empregos e renda”, enfatizou.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Flávio Azevedo defendeu a união dos vários setores da sociedade e considerou que o pleito do setor “é de fundamental importância para a manutenção das atividades”. Ele acrescentou que é preciso fortalecer a luta dos empresários e orientou a elaboração por eles de um estudo técnico-jurídico para justificar o pleito e convencer as autoridades federais para a mudança.

Azevedo destacou que esse estudo irá fortalecer os argumentos do Governo do Estado e da classe política do RN junto aos organismos e gestores federais. O secretário de Desenvolvimento Econômico sugeriu que o estudo técnico-jurídico seja feito pela Universidade Federal do Semi-árido – UFERSA.

Diretor-presidente do Instituto do Desenvolvimento do Meio Ambiente – Idema, Rondinelle Oliveira, reforçou o apoio à indústria salineira na atual gestão, com a agilidade na liberação de licenças, e destacou a importância da atividade se adequar às normas legais. Ele lembrou que o Código Florestal abre exceções para ocupação de áreas de interesse social e isso deve ser um dos pontos de sustentação para justificar o pleito de alteração na legislação. “É possível que o Estado atue para favorecer o desenvolvimento de forma sustentável, sem entrar em conflito com outras instâncias e órgãos federais encarregados de fiscalizar as normas e fazer cumprir a legislação”, registrou Rondinelle.

Também compareceram à reunião a prefeita de Mossoró, Rosalba Cialrlini, os deputados estaduais Galeno Torquato e José Dias. O senador Garibaldi Filho, a presidente da Câmara de Vereadores de Mossoró, Isabel Montenegro, o presidente do Siesal, Francisco Souto Filho, e o representante da Federação das Indústrias do RN – Fiern, Hélder Maranhão, além de empresários e representantes políticos de municípios vizinhos produtores de sal.

Fonte: Portal no Ar
Leia Mais ››

Homem é preso na PB suspeito de 'gerenciar' grupo especializado em arrombamentos de bancos

Preso em João Pessoa homem suspeito de ser 'gerente' de quadrilha especializada em arrombamento de caixas eletrônicos (Foto: Reprodução/CFTV)Um homem de 38 anos foi preso em João Pessoa suspeito de participar de uma quadrilha especializada em arrombamentos de caixas eletrônicos com atuação em todo o país. Segundo a polícia, ele foi preso logo após renovar o aluguel de um carro que teria sido utilizado em um roubo no fim de semana, em Pernambuco, e percorrer cerca de 14 quilômetros durante perseguição policial entre os bairros de Tambaú e Funcionários II, em João Pessoa.
De acordo com o delegado de Roubos e Furtos da capital, Diego Garcia, nos últimos meses a organização coordenou pelo menos quatro assaltos em João Pessoa, Recife, Goiana e Natal. Com os roubos, estima-se que a quadrilha tenha arrecadado mais de R$ 500 mil. "É um grupo especializado em arrombamento de caixas eletrônicos", informou.
Ainda segundo o delegado, o suspeito foi detido na segunda-feira (17) enquanto renovava o aluguel de um carro que teria sido usado no último roubo da quadrilha, ocorrido no domingo (16), em Recife. Mas a polícia teve acesso a vídeos que mostram a atuação do grupo em uma agência de um banco privado em Manaíra, na capital, que aconteceu no dia 24 de junho. 
"Ele estava renovando o contrato de locação do veículo. Quando viu a polícia, ele entrou no carro e tentou fugir. E a gente fez a perseguição de Tambaú até Funcionários II, onde ele desceu e foi preso", contou.
Preso cuidava da estrutura
O suspeito seria o responsável pela logística das atividades do grupo criminoso. "É como se ele fosse um gerente da quadrilha. É ele quem aluga o carro e as ferramentas, faz a destinação dessas ferramentas e recolhe o dinheiro roubado", explicou o delegado.
Com o homem detido, foram apreendidos R$ 20 mil em cédulas, além de ferramentas industriais utilizadas para arrombar os terminais. A polícia também apreendeu mais R$ 36 mil que estavam depositados em contas ligadas ao suspeito. "Ele pegava o dinheiro dos roubos, depositava em mais de uma conta e ficava com uma parte [em espécie]", informou Garcia.
O homem foi levado para a Delegacia de Roubos e Furtos, na Central de Polícia, no bairro do Geisel, e autuado pelos crimes de furto qualificado e associação criminosa. Em seguida, foi encaminhado para audiência de custódia.

Fonte: G1
Leia Mais ››